Dia Nacional da Educação Infantil

IMG-20150820-WA0019Agosto é um mês significativo para a educação. Neste período, datas importantes são celebradas e ganham destaque com a intenção de levar à mídia e aos debates em escolas, universidades e grupos de estudos, questionamentos e soluções para os problemas constantes que a educação sofre em nosso país.  Dia 7 comemorou-se o Dia Internacional da Educação. No dia 11, estudantes do país inteiro celebraram a data do Dia do Estudante. E para completar este quadro, nesta terça-feira, 25 de agosto, comemoramos o Dia Nacional da Educação Infantil.

Em 3 de abril de  2012, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.602, que institui a data de 25 de agosto como o Dia Nacional da Educação Infantil, em homenagem à médica pediatra e sanitarista Zilda Arns, brasileira falecida em 2010 em um terremoto no Haiti. O propósito principal desta data é que a educação infantil seja frequentemente pensada e discutida nas escolas, na imprensa e na sociedade em geral, para que o Brasil crie uma consciência de que ela é a base de tudo.

A educação infantil é a primeira etapa da educação básica e é destinada a crianças de 0 a 6 anos. Sua finalidade é o desenvolvimento integral das crianças dessa faixa etária em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

A criança, no processo de educação, é sujeito histórico e de direitos. Nas instituições de Educação Infantil, ela desenvolve-se pelas relações e práticas educativas e pelas interações estabelecidas com adultos e crianças de diferentes idades. Para destacar a importância desta educação nas escolas brasileiras e como sua inserção transformou e transforma a vida de muitas crianças, a professora da Educação Infantil do Instituto Dom Barreto, Marilene Machado, fez uma declaração sobre o tema.

“Houve um tempo em que Educação Infantil era de responsabilidade da família. Na falta da escola para acolher a demanda populacional de 0 a 6 anos, que era a grande maioria, as crianças gastavam seu tempo jogando futebol, pulando amarelinha, corda, elástico, jogando peteca, bola de gude, andando de bicicleta e carrinho de rolimã, fazendo comidinha e brincando de boneca, dentre tantas outras formas de ser criança. Os costumes e tradições eram vividos, repetidos e ensinados dentro da família e da comunidade. Quando chegava o tempo da escola, as experiências do mundo já eram bem consolidadas.

As creches e pré-escolas chegaram com o desenvolvimento industrial, então muitas coisas das brincadeiras a escola absorveu, afinal esse desenvolvimento foi, aos poucos, tirando das ruas as crianças, as brincadeiras coletivas, a liberdade.

Hoje, a Educação Infantil abraça essa criança que chega com muita energia e vontade de descobrir o novo. O contexto é outro. A criança tem novos conceitos, novas motivações e novas maneiras de aprender. Os profissionais buscam, a cada dia, essa nova maneira de educar, de ensinar e de participar da trajetória deles de inteligência e energia e com a mesma capacidade de se transformar através da sua interação com o universo que os permitimos explorar.

Contudo, para que essa criança possa crescer e se desenvolver em todo seu potencial, necessita de todas as condições necessárias e o olhar cuidadoso do adulto.

Cuidemos da infância para que a criança seja feliz agora e no futuro, quando adulto e o adulto, no futuro”.

Assim como Marilene, a professora da Educação Infantil do IDB, Socorro Morais, também trabalha diariamente com nossos brilhantes amanhãs e deixou seu depoimento. Segundo a professora, a educação infantil, hoje, é lugar de transformação. Confira:

“Durante muito, tempo a educação infantil era vista apenas como lugar onde os pais colocavam seus filhos com um foco totalmente assistencialista, visando apenas o “cuidar”. Depois, com o passar dos tempos, percebeu-se que a educação infantil era mais do que só “cuidar”. Era lugar de desenvolvimento e transformação.

 Pensar em educação Infantil é imaginar alegria, movimento, crescimento. É lembrar que é o princípio das descobertas de seres tão pequenos, desde cedo, se desenvolvem e muito, através de estímulos que recebem, respeitando suas condições de maturação. Vivenciar essa fase é, sem dúvida, um privilégio, pois é acompanhar e compartilhar da fase mais linda e importante da vida escolar. É crescer junto com eles, é aguçar a curiosidade, é estimular e promover descobertas. A cada dia, percebemos que nossos pequenos buscam conhecimentos, questionam e querem sempre muito mais e nós, enquanto facilitadores dessa busca, precisamos estar atentos para promover e estimular nossos brilhantes”.

Acreditamos que a educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.  Portanto, defendemos o ensino e a educação com amor.

Parabenizamos todos os profissionais que trabalham, direta e indiretamente, com a Educação Infantil em nossa escola, principalmente a nossa gestora e coordenadora, professora Bernadete Rangel.

Paz e Bem!