Instituto Dom Barreto celebra o Dia Nacional do Livro Infantil

Hoje é oficialmente comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi escolhida para homenagear Monteiro Lobato, escritor que dedicou-se à Literatura Infantil.
O objetivo principal das obras infantis é estimular nas crianças o gosto pela leitura que é a ferramenta que ajuda professores e pais na fase de educação das crianças. O hábito pela leitura proporciona aos pequenos leitores uma viagem ao universo de personagens e lugares que estimulam a criatividade.
Vanessa Furtado, professora e coordenadora do 1º Ano do Ensino Fundamental, nos explica a importância da literatura infantil para a educação: “Um bom livro infantil precisa de pessoas que saibam lê-lo. Quando a gente ler para crianças, aquele livro passa a ser do desejo delas.” Para Vanessa, a divisão sobre os conteúdos infantis, que são dados em sala de aula, facilita o entendimento do conteúdo: “Aqui no IDB, temos, nos primeiros anos, o uso de contos clássicos. No Infantil I e II trabalhamos autores brasileiros, como Eva Furnay, Mary França e Ruth Rocha, por trazerem textos mais divertidos e proporcionando um bom nível de leitura.

Autor pré-modernista, Monteiro Lobato contribuiu com obras célebres para o público adulto, mas foi com obras infantis que ele ganhou notoriedade. Fazendo uso de uma linguagem simples, o autor foi criador da famosa história “Sítio do Picapau Amarelo.”

Marilene Machado, professora do Infantil I do IDB Centro, declara a importância de Monteiro Lobato para educação: “Monteiro Lobato é, sem dúvida, o pai da literatura Infantil no Brasil. Contribuiu com a divulgação do folclore brasileiro, trazendo em suas obras personagens como Saci, Mula-sem-cabeça, Iara e muitos outros da Literatura Mundial; na época, conhecidos apenas por meio da oralidade pelos inesquecíveis e importantes contadores de histórias. Partindo de sua obra “A Menina do Nariz Arrebitado”, entre outras, até chegar à sua obra-prima, ‘Sítio do Picapau Amarelo’, na qual fantasia e realidade são vividas com naturalidade pelos seus personagens adultos e crianças. Monteiro Lobato tornou- se protagonista em sua própria obra nas falas da inconformada Emília, pela qual expõe suas ideias. Ele traz a fantasia para a realidade com a naturalidade de uma criança. Leva o leitor, adulto ou criança, ao mundo da fantasia, do sonho, viajando pela literatura greco-romana, que gerou o padrão intelectual e cultural do mundo ocidental.”
“A mim me salvaram as crianças. De tanto escrever para elas, simplifiquei-me” (Monteiro Lobato)

Paz e Bem!