É hoje! XXXIV Gincana Cultural “Teresina, meu amor”

O dia 16 de agosto chegou! É o momento de mostrar o resultado de semanas de preparação para a XXXIV Gincana Cultural “Teresina, meu amor”, ponto alto do calendário de eventos do Instituto Dom Barreto, que já é tradição no aniversário de Teresina. Neste ano, as equipes Aquicalá e Brazundanga têm a missão de mostrar, das mais criativas formas, a “Leitura do Brasil Através das Artes”.

Já reunidos no Iate Clube de Teresina e com quase 2 meses de preparação, as equipes mostram garra, determinação e criatividade na elaboração das tarefas, na animação e no desempenho para que tudo saia conforme o planejado e que, no final do dia, uma delas levante a taça de campeã. O resultado será divulgado no final de um dia que promete grandes emoções. A gincana é um momento de confraternização, aprendizado e união não só dos alunos, mas também dos pais, ex-alunos e toda a família dombarretana que espera com ansiedade por esse grande dia.

LEITURAS DO BRASIL ATRAVÉS DAS ARTES

“Uma gincana na mão e mil ideias na cabeça”, esse foi um dos pontos de partida da comissão organizadora sobre o tema da Gincana Cultural 2017. Organizar toda a gincana é um desafio, mas é, antes de tudo, “pensar nas pessoas, no legado, nas questões suscitadas, nas emoções que dela farão brotar em toda a comunidade dombarretana uma sensação de compartilhamento de toda ordem que se possa imaginar”, disse a profa Socorro Rangel, presidente da Comissão da Gincana.

Tendo como referências a poesia de Ricardo de Azevedo e a abordagem de Paulo Freire sobre “leitura do mundo”, um questionamento bem-vindo e necessário surgiu em meio à busca: “O que queremos que os gincaneiros leiam? Aquilo que determinamos? Do modo que delineamos? Jamais! Queremos oportunizar leituras, educar o olhar e proporcionar experiências.” Partindo desse princípio, a comissão proporcionou aos alunos e a toda comunidade dombarretana envolvida, não formas de fazer, mas sim pontos de reflexão. A leitura que transcende os livros, a leitura do mundo, da arte, do significado humano, da história, dos sons, cores, ritmos e movimentos. Na mescla de várias significações surgiu, portanto o tema: “LEITURAS DO BRASIL ATRAVÉS DAS ARTES” que traz a proposta de, com a leitura e com as artes, atribuir um novo significado através da mudança de sua visão de mundo, promovendo diversas intervenções artísticas das mais diferentes formas.

CONHEÇA AS EQUIPES

 “Onde estaria o Brasil, afinal? Em todos os cantos, em todos os versos, em cada descoberta, em cada página, em cada pessoa, em cada época, seja remetendo à nossa história, seja exaltando a nossa contemporaneidade. O Brasil é aqui; cá no norte, lá no sul; aqui no presente, lá no passado e, cá entre nós, que país é esse? Bem-vindos ao Brasil, bem-vindos à AQUICALÁ”. Foi com essas palavras que a antiga equipe “Uh Boom Tum”, do ano de 2016 apresentou sua nomenclatura para a Gincana das Artes e Criatividades 2017.

 

Já a equipe Brazundanga traz a inspiração da literatura para dar nome à equipe. O livro “Os Brunzundangas” do autor Lima Barreto é a inspiração da equipe. A obra é uma sátira da vida brasileira nos primeiros anos da Primeira RepúblicaBruzundanga é um país fictício, onde havia, tal como na Primeira República, diversos problemas sociais, econômicos e culturais. O texto de apresentação da nomenclatura 2017 da antiga equipe Kairós mostrou para o que veio: “Criamos nosso próprio manifesto nacionalista. Resgatamos um país problemático, misturando coisas desconexas que formam nossa mosaica brasilidade e trazemos de volta aquilo que nos constitui como nação. Como Brazundangas, assumimos uma identidade coletiva que parte do caos rumo ao equilíbrio, nos opondo ao tempo em que vivemos ressignificando antigos ideais e trazendo de volta nosso espírito nacionalista. Propomos deixarmos de ser público e finalmente virarmos povo. Um povo que cria e vive arte em seus mais diversos âmbitos”.

AS PROVAS DA GINCANA

A Gincana Cultural IDB 2017 apresenta 4 tipos de provas que as equipes começam a desenvolver antes mesmo do dia da gincana, logo após o lançamento do tema 2017 que aconteceu no dia 21 de junho. São elas: tarefas normais (que acontecerão hoje durante os trabalhos da gincana); tarefas especiais (disponibilizadas para a comissão durante as férias escolares, que foram executadas em datas e condições específicas); tarefas surpresas (conhecidas e executadas ao longo de todo o dia de hoje); e as extraordinárias (escolhidas pela comissão organizadora e cumpridas em datas, horários e locais estipulados pela comissão).  

Deixando toda a Escola com aquela sensação de “está chegando o grande dia”, a tarefa especial nº 1 propôs que cada uma das equipes decorassem os ambientes dos prédios do IDB com o pressuposto de identificar, divulgar e apresentar a proposta das equipes. E elas não deixaram por menos: De pássaros no teto dos corredores pela Brazundanga às cores dos guarda-chuvas coloridos da Aquicalá, relembrando o ritmo do frevo. Teve Cristo Redentor mostrando as artes de todo canto com a equipe Aquicalá, e um bandeirão feito pelos próprios integrantes da Brazundanga. Sem contar todas as intervenções artísticas espalhadas pela Escola.  

Uma atividade especial que mexeu com as estruturas e colocou todos para trabalhar de verdade foi a tarefa especial de nº 3: “O que pode e o que quer esta(s) língua(s)”. A prova tinha como principal objetivo promover encontros inesperados entre obras, técnicas/linguagens e tempos históricos, através de uma exposição das artes do Brasil tendo como ponto de partida 5 obras literárias previamente estabelecidas. Os gincaneiros mostram-se tão empolgados por essa prova que o resultado nas intervenções artísticas de cada equipe trouxe 5 livros a mais para cada equipe, somando 10 representações diferentes, uma para cada obra literária, sendo uma obra de autor piauiense. E eles deram um show de encantamento e representação.

Confira, a seguir, a lista com os resultados das provas realizadas até a abertura da Gincana 2017:

PROVA

Equipe Vencedora

Pontos por prova

TAREFAS ESPECIAIS
Aquicalá
Brazundanga
Aquicalá
Brazundanga
Tarefa Especial N° 2 – “Das Artes a Mais Belas”! As equipes tiveram que construir, com a participação direta e indispensável daqueles que fazem a Gentileza, um projeto de sensibilização com e para a comunidade dombarretana, tendo como pressupostos as questões: “Por que doar?”, “O que doar?”, “Para quem doar?”.

 

X 188

235

 
Tarefa Especial N° 3! – O que pode e o que quer esta(s) língua(s) – Realizar exposições e representações sobre obras brasileiras e piauienses!

X

  800,88

755,11

PROVAS EXTRAORDINÁRIAS

X

  25

0

Prova extraordinária Nº 1 – As equipes deverão escolher 6 (seis) jogadores titulares e 2 reservas, do sexo masculino, da 1 série do ensino médio, para jogar um set de uma partida de vôlei,
Prova Extraordinária Nº 2 – Cada equipe escolheu 5 representantes, entre aluno, aluna, ex aluno(a), pai de aluno(a), e mãe de aluno(a) para disputar uma corrida de 2km. A equipe vencedora fez o percurso em menor tempo.

X

  25

0

Prova Extraordinária Nº 3 – As equipes tiveram que escolher 5 (cinco) jogadores titulares e 3 (três) reservas do sexo masculino, do 8º e/ou 9º ano do fundamental, para jogar dois tempos de uma partida de basquete.

X

  25

0

Prova Extraordinária N° 4 – As equipes tiveram escolher 3 (três) pais de alunos e 3 (três) filhos, alunos do ensino médio para disputar duas baterias de corrida de kart!

X

  34

18

Prova Extraordinária Nº 5: As equipes escolheram 5 jogadores titulares, incluindo o goleiro e 3 reservas, do sexo masculino, do 5º Ano do Ensino Fundamental da Escola Madre Maria Villac, para jogar uma partida futsal!   

X

0

25

Prova Extraordinária Nº 6: As equipes escolheram 3 mães, que têm filhos estudando na unidade do IDB da zona leste, para disputar um circuito de atividades funcionais montado pela equipe PERSONAL STUDIO. Ganhou a equipe que finalizou o circuito em menos tempo. 

X

  25

0

 

JURADOS

Os jurados da XXXIV Gincana Cultural 2017 são de alto nível, nomes que são referência nas mais diversas áreas de atuação.

TURNO MANHÃ:

  1. Teresinha de Jesus Ferreira – Presidente do Júri. A professora presidente do júri, é especialista em Língua Portuguesa e Linguística Textual.
  2. Paulo Vasconcelos – Arquiteto, urbanista, formado na USP e FAU. (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo); professor universitário da UFPI e Faculdade Camilo Filho, ex-diretor do Museu do Piauí; foi coordenador do Plano Diretor de Teresina e Secretário Municipal de Planejamento.  
  3. José Reis – Presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves.
  4. Wellington Soares – professor, escritor e editor da Revista Revestrés.
  5. Aristides Oliveira – professor de História da UFPI, editor de cinema e artes da Revista Acrobata.

 

TURNO TARDE:

  1. Teresinha de Jesus – Presidente do Júri. A professora presidente do júri, é especialista em Língua Portuguesa e Linguística Textual.
  2. Arimatan Martins – Diretor de teatro, premiado nacional e internacionalmente, dirigiu mais de 50 espetáculos; é um dos criadores e diretor artístico do Festival Internacional de Língua Portuguesa e também do Grupo Harém de Teatro e da Oficina Procópio Ferreira.
  3. Antoniel Ribeiro- produtor cultural, ex-diretor do Teatro 4 de Setembro. 
  4. Fátima Campos – Artista Plástica.Com exposições dentro e fora do Brasil. É vencedora de vários prêmios estaduais e nacionais. A piauiense Fátima Campos é uma das mais brilhantes artistas plásticas do país. 
  5. Paulo Dantas – Músico. Formado em Música pela UFPI, produtor, baixista e professor há 20 anos. Coordenador da Escola Estadual Música Posidônio Queiroz, tem 3 cds, 1 DVD e 1 livro lançados.

O GRANDE DIA CHEGOU

Para todo gincaneiro, é grande a vontade de gritar “é campeão!”. Mas, acima de tudo, o sentimento de cumplicidade, união, fraternidade e aprendizado vem em primeiro lugar. “Só de terem feito tudo o que fizeram até aqui, já são todos campeões”. Essa frase pode até parecer clichê, no entanto, ela tem um significado real nesse evento. Como vem acontecendo ano após ano, ao final do dia, independentemente do resultado, é improvável de não perceber nas expressões dos alunos que, se pudessem, percorreriam todo o caminho de volta até o momento final, por cada aprendizado, entrega, superação, cada sacrifício, sorriso, cansaço, cada uma das novas amizades e sensações experimentadas. Porque o essencial desse acontecimento está além do anúncio final, está na travessia. Pois, como diria Carlos Drummond de Andrade “o caminho é mais importante do que a chegada”.

Boa sorte a todos os gincaneiros!

Paz e Bem!