Aluno do IDB é classificado para Seletiva Final IPhO2015/India e OIbF/Bolívia

_DSC4710

O aluno da 3ª série D, do Ensino Médio, do Instituto Dom Barreto, Felipe Vieira Coimbra, foi classificado para a seletiva final da equipe Olímpica Brasileira de Física (OBF) 2015. Da lista de 17 alunos, que inclui Felipe, serão escolhidos 5 alunos para IPhO2015/Índia (Olimpíada Internacional de Física) e 4 alunos para OIbF2015/Bolívia (Olimpíada Iberoamericana de Física), após a ultima seletiva, que será realizada em abril. A data será confirmada, pelo Instituto de Física – USP em São Paulo.

A classificação foi definida de acordo com as regras do regulamento OBF 2014. A Olimpíada Brasileira de Física é realizada em três fases e são as notas da terceira fase que contam para a premiação nacional e também para selecionar os alunos que irão para as seletivas e para as olimpíadas internacionais.

O professor e coordenador da disciplina de Física do IDB, Rawlinson Ibiapina, afirma que, até hoje, poucos piauienses alcançaram esta conquista. “É um momento de vibração para nós professores e para toda a escola. Motivo de muito orgulho, ter alcançado esta brilhante conquista. Poucos piauienses conseguiram chegar nesta etapa. Em 2015, Felipe Coimbra foi o único Piauiense a chegar neste seleto grupo. E creio que ele conseguirá chegar ainda mais longe, pois é um aluno muito dedicado, disciplinado e de grande potencial. Ele agora irá para São Carlos, em São Paulo, onde terá um treinamento intenso e fará as provas decisivas” comentou o professor.

A equipe de Física do IDB está se organizando para dar o suporte que o ajudará a lograr êxito nesta etapa, antes mesmo da viagem a São Paulo. “Já estamos organizando um material específico para a prova que ele fará. Vamos realizar experiências no Laboratório de Física do Idb e no Laboratório de Física da UFPI, para intensificar seu treinamento e realizar outros experimentos. Vamos orientá-lo, passando alguns artigos científicos para que ele possa buscar inspiração, ter alguns insights e poder demostrar ainda mais criatividade na resolução dos problemas que serão apresentados na prova. É uma prova experimental e teórica, nos moldes da competição internacional. São questões de elevada complexidade que você não encontra em certos livros. São problemas diferenciados e com um alto grau de aprofundamento. Possuem grande complexidade, muitos dos quais com nível de pós graduação em Física, explicou Rawlinson.

Ficamos imensamente felizes e orgulhosos por essa conquista tão significativa.

Paz e Bem!